DSTEC - Internet para Todos
Internet para Todos tem adesão de 70% dos municípios brasileiros

Iniciativa levará conectividade a todos os cantos do País

Quase quatro mil municípios já aderiram ao programa Internet para Todos, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). De acordo com dados divulgados pela pasta nessa terça-feira (17), 3.865 prefeituras completaram a inclusão no programa e terão internet com alta velocidade em locais sem conectividade atualmente. Esse número equivale a 70% das cidades brasileiras.  

Para participar do programa, os prefeitos precisam assinar um termo de adesão. Nesse documento são definidas a infraestrutura básica e as condições para a participação no programa Internet para Todos. As prefeituras indicam as localidades que podem ser atendidas para receber as antenas e ter acesso ao sinal de internet. O Internet para Todos não oferecerá conexão gratuita para os moradores dessas localidades, mas a preços reduzidos. 

A conexão de internet é feita por meio do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), de propriedade do governo. Com investimentos de R$ 3 bilhões, o satélite está em órbita desde maio de 2017. A Telebras é a primeira empresa de telecomunicações credenciada pelo MCTIC. Ela será a responsável pela análise das localidades e iniciará a busca e credenciamento de empreendedores e pequenos empresários que serão os responsáveis por comercializar o serviço de internet em cada município.  

Fonte: Governo do Brasil, com informações do MCTIC

 

Conheça os benefícios do Programa

Inclusão digital e social

Essa é uma conquista coletiva para todos que usufruem de serviços públicos, em especial cidades sem banda larga: unidades básicas de saúde (UBS) usarão o prontuário eletrônico; escolas públicas passarão a ter acesso à internet e, consequentemente, mais informação e educação etc.

Como funciona

Após participar da cerimônia do termo de adesão assinado pelo presidente da República, Michel Temer, cada município vai indicar onde serão instaladas as antenas para distribuir o sinal de internet. Em contrapartida, as prefeituras devem garantir a segurança das áreas e arcar com as despesas de energia elétrica.

Quando vai começar?

A primeira fase do Internet para Todos deve começar em maio deste ano. De acordo com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTic), devem ser instaladas 200 antenas por dia. A Telebras contratou uma empresa dos Estados Unidos, a Viasat, que será responsável por essa etapa do process

Economia de dinheiro público

O Internet para Todos vai proporcionar uma economia anual significativa no orçamento da saúde pública, segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros. “Com a informatização, a economia gerada nos cofres públicos poderá chegar a R$ 20 bilhões, pois não serão repetidos exames, consultas e entregas de medicamentos”, afirmou o ministro.

Segurança nacional

Além da saúde e da educação, a área de defesa do País também vai ser contemplada com o leque de benefícios do Internet para Todos. Com ele, haverá o “monitoramento de 100% das fronteiras brasileiras, ampliando as ações de combate ao tráfico de armas e drogas”, informou o MCTic.

Fonte: Planalto, com informações do MCTic