Como podemos ajudar você?

A tendência dos serviços públicos hiperconectados

No início do primeiro trimestre de 2020, o Brasil vivia a euforia da transição para um novo ano enquanto se preparava para o Carnaval, afinal, muitos dizem que é quando o ano começa de fato. Dessa vez, infelizmente, amargamos um clima de Quarta-feira de Cinzas do qual não conseguimos nos libertar.

De repente foi preciso se adaptar a uma situação que não fazia sentido em um cenário globalizado, com consumo acelerado e praticamente sem fronteiras para quem desejava conhecer o mundo. A recomendação era ficar em casa para proteger vidas, e graças à tecnologia, muitos de nós conseguimos proteger também o trabalho.

Empresas se adequaram rapidamente, ainda que em diferentes níveis, ao uso dos recursos tecnológicos para manter suas equipes produzindo com o trabalho remoto. Muitos gestores, incrédulos sobre o sistema, foram forçados a observar na prática que seus negócios poderiam se manter produtivos mesmo com escritórios vazios.

Apesar de as coisas encontrarem um fluxo natural para quem aproveitou a digitalização, há outro aspecto interessante, cada funcionário também é um cidadão que demanda serviços públicos. A gestão pública já havia dado os primeiros passos rumo a digitalização de processos e serviços, contudo, há uma verdadeira jornada até a hiperconexão.

Governos tendem a se beneficiar bastante ao combinar diferentes tecnologias e ferramentas, criando plataformas para automatizar processos e atividades de TI. Esta também é uma tendência apontada pela consultoria Gartner, cuja previsão indica que nos próximos 3 anos 75% dos governos terão ao menos três iniciativas de hiperautomação lançadas ou em progresso.

Segundo informações do Governo Federal, em um ano e meio, 800 serviços públicos se tornaram acessíveis pela Internet, em um processo acelerado pela pandemia. Apenas nos meses de março a junho deste ano, mais de 200 serviços foram criados ou digitalizados, e 58% dos 3600 disponíveis no portal Gov.br já são digitais.

Além da redução da burocracia e maior eficiência, o Governo Federal prevê uma economia aproximada de R$2 bilhões por ano com a digitalização, dos quais R$1,5 bilhões são para a sociedade.

Órgãos públicos podem, ainda, colher bons frutos em sobre a ideia de ineficácia e morosidade no atendimento, uma vez que a hiperconexão leva à automação de serviços que requerem intervenção humana. Com serviços disponíveis online, prefeituras podem se tornar mais ágeis enquanto aumentam os índices de satisfação do cidadão, que é atendido sem sair de casa, por exemplo.

Os benefícios não se resumem, porém, à economia ou ao aumento da eficiência nos processos administrativos, afinal, a automação permitirá que gestores cuidem de tarefas mais relevantes. Agir para que serviços públicos atinjam a hiperconexão é uma tendência boa para a gestão pública e para o cidadão.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these <abbr title="HyperText Markup Language">html</abbr> tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.